sexta-feira, 18 de março de 2016

A AVENTURA DA VIDA - (Joseph Campbell).


 Seja Bem-vindo! - Welcome! - Bienvenido! tony'sgift

 Click nos Sete Arcanjos e veja o que seu Anjo da Guarda revela!
(*) Acorde! 'Caminhante das Estrelas':
"Antes de reencarnar na Terra, você fez um plano do que pretendia alcançar... Dentro desse plano, fez contratos com todas as pessoas de sua vida: com seus pais, irmãos, irmãs, parentes e amigos. Eles o ajudam a passar por tudo o que planejou realizar nesta vida"... (Dolores Cannon. Hipnoterapeuta). - Dolores Cannon reafirma o que temos dito: antes de nascer cada um escolhe, a nível da Alma, sua via de desenvolvimento e as lições de vida no 'campo quântico das possibilidades' junto àqueles que está interligado por laços kármicos do passado. Ninguém nasce numa certa família ou circunstância por Acaso... Tudo faz parte do aprendizado constelado pelo ser interior imortal ('Self'), para nos dar oportunidades de expansão da Consciência Divina: "Nossa intenção é deixar que as pessoas sigam seu próprio caminho para encontrar a verdade espiritual eterna, que faça sentido dentro da sua experiência [de vida]... Gostaríamos que estas palavras chegassem até aqueles que estão abertos para essas verdades, que com elas se harmonizem e as usem para fazer brotar em si a ânsia pelo crescimento e o desenvolvimento interior"... (Anjo Ariel). ['Entrevista com um Anjo', p. 97. Pensamento]. (Campos de Raphael).

Você aniversaria hoje? Click nos Anjinhos!
 Anjos da Guarda: Click e veja o que o seu revela!


Escolha abaixo uma música que aquiete a mente e 'fale' ao seu coração... E a ouça durante sua leitura:

 Click-Foto: Coheça as Praias de Rio das Ostras!

  
A Aventura da Vida - (Joseph Campbell).
Moyers: "Você contaria essa história aos seus alunos - caso eles persigam a sua bem-aventurança, caso se agarrem às chances de suas vidas, caso façam o que desejam fazer - como a ilustração de que a aventura, em si, já é uma recompensa?" 

Campbell: A aventura é a sua recompensa, mas é necessariamente perigosa, incluindo possibilidades tanto negativas quanto positivas, umas e outras fora de controle.

Estamos seguindo o nosso próprio caminho, não o caminho do papai e da mamãe. Com isso estamos sem proteção, num campo de poderes superiores aos que conhecemos. É preciso ter alguma noção das possibilidades de conflito nesse campo e, para isso, algumas boas histórias arquetípicas, podem preparar-nos para o que nos aguarda.

Se formos imprudentes e, ao mesmo tempo, estivermos inabilitados para o papel que nos destinamos, esse será um casamento demoníaco, um verdadeiro desastre. Mesmo assim, porém, uma voz de resgate talvez seja ouvida, para converter a aventura numa glória para além de qualquer coisa jamais imaginada...
Moyers: É mais fácil ficar em casa, no útero, não seguir a jornada.

Campbell: Sim, mas aí a vida pode definhar completamente, porque você não está vivendo a sua própria aventura... Por outro lado, eu tive uma experiência oposta - e para mim, muito surpreendente - quando conheci alguém cuja juventude foi toda controlada e dirigida pelos outros, do início ao fim.

Meu amigo é tibetano e, quando criança, foi identificado como a reencarnação de um monge que vinha reencarnando aproximadamente desde o século XVII. Com a idade de quatro anos foi levado a um mosteiro e, desde então, nunca lhe perguntaram o que gostaria de fazer. Ele seguiu em tudo ao pé da letra, as regras e instruções dos seus mestres. Toda a sua vida foi planejada para ele, de acordo com as exigências rituais da vida monástica budista do Tibete...
Cada estágio de seu desenvolvimento espiritual foi celebrado com uma cerimônia. Sua vida pessoal traduziu-se em termos de uma jornada arquetípica, de modo que, embora superficialmente não parecesse desfrutar de qualquer existência pessoal, na verdade ele vivia uma vida arquetípica, de um nível espiritual muito profundo, semelhante à vida de uma divindade...

Em 1959, essa vida terminou. O exército comunista chinês, sediado em Lhasa, bombardeou o palácio de verão do Dalai-Lama e teve início um período de massacres. Havia mosteiros ao redor de Lhasa com até seis mil sacerdotes todos destruídos; sacerdotes e monges foram mortos e torturados. Muitos fugiram, junto com centenas de outros refugiados, através do quase intransponível Himalaia, para a Índia. É uma história terrível, que ainda precisa ser contada...
Por fim, toda essa pobre gente chegou à Índia, que mal pode cuidar do seu próprio povo; entre os refugiados estava o próprio Dalai-Lama e um grande número de altos oficiais e monges dos grandes mosteiros, que haviam sido destruídos. Todos concordaram em que o budismo tibetano estava terminado.

Meu amigo e os outros sacerdotes tibetanos que haviam conseguido escapar foram aconselhados a encarar os seus votos, agora, como uma coisa do passado, e livres para escolher continuarem sendo monges, de algum modo, ou desistirem da vida monástica, tentando encontrar um meio de adaptar suas vidas às exigências e possibilidades do homem secular moderno...
Meu amigo escolheu o segundo caminho sem se dar conta, é claro, de quanto isso poderia representar de frustração, pobreza e sofrimento. Enfrentou dificuldades imensas, mas superou-as, com a vontade e serenidade de um santo. Nada o perturba.

Eu o conheço e venho trabalhando com ele há mais de uma década e, durante todo esse tempo, jamais ouvi dele uma só palavra, quer de recriminação contra os chineses, quer de queixa em relação ao tratamento que tem recebido no Ocidente. Nem do próprio Dalai-Lama você ouvirá uma única palavra de ressentimento ou de condenação.

Esses homens e os seus amigos foram vítimas de uma terrível sublevação, de uma violência inusitada, contudo não sentem  ódio. Eu aprendi o que é religião através desses homens. Eis aí a religião verdadeira, viva, hoje.
Moyers: Ama os teus inimigos...

Campbell: Ama os teus inimigos porque eles são instrumentos do teu destino... [Cf. 'O Poder do Mito', p. 167/169. Joseph Campbell. Editora Palas Athena. 1990. Título original: 'The Power of Myth'].
COMENTÁRIO - (Campos de Raphael). 
Reconheço ser quase impossível para a mente racional do ego, que conhece só esta vida, aceitar as vicissitudes que defrontamos no mundo espaço-tempo, como parte da aventura que, através de o ser interior, imortal, escolhemos antes de nascer como oportunidade de crescimento.

Em 'O Segredo da Flor de Ouro', Jung nos oferece uma "possibilidade de compreensão", quando fala que esses acontecimentos são constelados pelo 'Self', o Si-Mesmo. E cita Lü Dsu: "Quando as ocupações se nos propõem, devemos aceitá-las; quando as coisas acontecem em nossa vida, devemos compreendê-las até o fundo"...


"O caminho não é isento de perigo"... diz Jung. "Tudo o que é bom é difícil, e o desenvolvimento da personalidade é uma das tarefas mais árduas... O passo que conduz a uma consciência mais alta deixa-nos sem qualquer segurança com a retaguarda desguarnecida. O indivíduo deve entregar-se ao Caminho com toda a sua energia, pois só mediante sua integridade poderá prosseguir e só ela será a garantia de que tal caminho não se torne uma aventura absurda".

"Quer receba seu destino de fora ou de dentro, as vivências e os acontecimentos do caminho são os mesmos. Por isso não preciso dizer acerca dos múltiplos acontecimentos externos ou internos, cuja variedade infinita não pode ser abarcada"... ('O Segredo da Flor de Ouro', p. 34/35).
Esse livro estava esquecido há sete anos em nossa estante e o abrimos aleatoriamente num momento em que nos sentíamos num beco sem saída em nosso caminhada espiritual. E essas palavras de Carl Jung foram para nós "uma luz no Caminho". Passamos então a compreender melhor e aceitar os eventos inesperados do Destino, constelados pelo 'Self' imortal, para abrir a possibilidade de nosso acesso a um patamar mais amplo de consciência.

E entendi por que o ego não pode saber antes sobre as crises e provações que defrontará na aventura da vida, exceto em casos específicos. Aconteceu comigo e criou a oportunidade de mudar o roteiro de vida que trazia no inconsciente. Talvez por reminiscência do passado, eu buscava uma grande paixão por uma morena para me casar, quando conheci uma mulher loura de olhos azuis no playground, defronte da casa em que morávamos próximo, a Enseada de Botafogo.

Eu estava saindo em viagem de férias do trabalho para visitar um irmã casada residente em Vitória, capital do Espírito Santo. Antes de retornar para o Rio, minha irmã, por parte de mãe, insistiu em levar-me a sua amiga que lia oráculos através do Tarô. Eu estava com 23 anos de idade e desconhecia, como só descobri muito mais tarde, que os oráculos podem servir aos 'agentes espirituais' - expressão de Jung - para nos dar mensagens, assim como os Anjos da Sincronicidade.

A leitura das Cartas revelou ser aquela loura de olhos azuis com quem me casaria, após uma série de eventos, qued incluía uma longa viagem e correspondência assídua. Na 'Insensatez Juvenil' de meus 23 anos, eu disse francamente estar tudo errado, pois pretendia casar-me com uma morena.

A jovem pitonisa de Apolo, sorriu e disse não ser ela que o dizia, e sim o oráculo. Voltou a olhar as Cartas
e adiantou-me que seria muito feliz, mas por pouco tempo, porque logo depois ela moreria. Descreveu a segunda etapa de meu roteiro de vida e a terceira etapa. Até ali eu não acreditava em dada, mas o que a Carta seguinte então revelou mexeu comigo. O que pretendia realizar profissional e financeiramente na vida foi descrito na Terceira Carta.

No entanto, a loura trabalhava em Los Angeles e eu descobrira através de assídua correspondência, que ela seria a mulher ideal para companheira da vida toda. E decidi pedi-la em casamento...
Então caiu a venda de meus olhos, e conscientizei-me de que o oráculo cumpria-se em todos os pormenores que, inicialmente, a mente limitada do ego não acreditara em nada...

Essa decisão e a aceitação dela, desencadeou uma série de eventos sincronísticos, que mudaria o rumo de nossos destinos. Experienciaríamos outros níveis de consciência e reconectar o ser interior com o passado espiritual no Sul da França, entre cavaleiros templários e monges cátaros.

A partir dessas experiências diretas, descobrimos que o Amor Divino jamais nos abandona: Anjos da Sincronicidade e Anjos da Guarda, acompanha-nos o tempo todo, prestando amoroso auxílio e orientação até que cumpramos a elevada meta de nossas vidas... (Campos de Raphael).


'Doze sinais da presença dos Anjos!'
(Click on the Angel)
 Doze sinais da presença dos Anjos!
 VÍDEOS EM DESTAQUE:
Mensagem dos Anjos Para Todo Ano!
O verdadeiro Natal, o nascimento da Luz de Deus no santuário de seu coração, pode ser comemorado em qualquer dia do ano... Acenda, pois essa Luz Crística dentro de você mesmo!

'Click on the Angel'.
 'Click on the Angel'

(Click nos Anjos da Natureza - 'Mensagem da Árvore')

Vídeos Especiais (click):
Veja, ouça e emocione-se! - 'Nessun Dorma' - Puccini.

Click e conheça também:
 Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael). 
[Editado e ampliado  em 18.03.2016. Rio das Ostras/R.J.Brazil].