sábado, 3 de outubro de 2015

CURE HOJE DOENÇAS, PELA ALQUIMIA DE PARACELSO!

Seja Bem-vindo! Welcome! - Bienvenido!
“Aqui jaz Felipe Teofrasto de Hohenheim, famoso doutor em medicina que curou toda espécie de feridas, a lepra, a gota, a hidropisia e várias outras doenças do corpo, com ciência maravilhosa... Morreu no dia 24 de setembro de 1541”.  (Biografia de Paracelso).

 Anjos da Guarda: Click e veja o que o seu revela!

(*) Acorde! 'Caminhante das Estrelas'. "Antes de reencarnar na Terra, você fez um plano do que pretendia alcançar. Dentro desse plano, fez contratos com todas as pessoas de sua vida: um contrato com seus pais, irmãos, irmãs, parentes e amigos. Eles o ajudam a passar por tudo aquilo que você planejou realizar nesta vida". (Dolores Cannon. Hipnoterapeuta)... Essas palavras reafirmam o que já temos dito: antes de nascer escolhemos as lições de vida e relacionamentos com aqueles interligados a nós por laços kármicos. Ninguém nasce num certo dia, circunstância ou família ao Acaso. Tudo é parte do aprendizado constelado pelo nosso ser interior imortal ('Self'). E assim como o mapa astral indica influências planetárias do dia e hora em que você nasceu, as características do Anjo do Guarda que o acompanha desde o nascimento numa veste 'feminina' ou 'masculina', também revelam potencialidades, profissões e a personalidade que escolheu vivenciar. Por isso, cada existência é uma oportunidade de expansão da sua Consciência Divina... (Campos de Raphael).

Escolha abaixo uma música que aquiete a mente e 'fale' ao seu coração...
E a ouça durante sua leitura: 


  
Cure Doenças Modernas, pela Alquimia de Paracelso!

Fitoterapia: A Terapia das Plantas
"A fitoterapia é a ciência que estuda a utilização de produtos de origem vegetal com finalidades terapêuticas, seja para prevenir, atenuar ou curar um estado patológico. A palavra fitoterapia é formada por dois radicais gregos: 'fito', de “phyton”, planta; e 'terapia', de “therapia”, que significa tratamento, ou seja, tratamento em que se utilizam plantas medicinais"...

Embora muitas pessoas ignorem a importância das plantas medicinais, sabe-se que toda a farmacologia tem como base exatamente os princípios ativos das plantas. Na verdade, a farmacologia moderna não existiria sem a botânica, a toxicologia e a herança de conhecimentos adquiridos através de séculos de prática médica ligada ao emprego dos vegetais.

Apesar do avanço da tecnologia, que diariamente cria novos compostos e substâncias sintéticas com poderes medicinais, mais de 40% de toda a matéria-prima dos remédios encontrados hoje nas farmácias continua de origem natural, vegetal. Todo medicamento, inclusive fitoterápicos, deve ser usado segundo orientação médica...

É claro que dificilmente chega-se a uma overdose de chá de camomila, mas há ainda muitas plantas cujos efeitos não são bem conhecidos e seu uso indiscriminado pode prejudicar a saúde. Por outro lado, vários estudos científicos comprovam que a fitoterapia oferece soluções eficazes e mais baratas para diversas doenças...


Algumas ervas importantes e seus principais usos:

Açafrão: Tanto o óleo (empregado em massagens) como a tintura são úteis para combater anemia, a fraqueza e a melancolia.

Alecrim: O óleo das flores, em massagens leves, alivia as dores reumáticas. O chá das folhas é útil contra a epilepsia, a lepra, a sífilis e as feridas em geral.

Amendoeira: Seus frutos, tônicos e fortificantes, melhoram as inflamações e são indicados para os casos de bronquite:
Angélica: O chá das folhas tonifica o estomago. O chá da raiz, aplicado externamente, ajuda nos casos de gangrena e nas mordeduras venosas. O chá da planta inteira, tomado diariamente em jejum, é muito eficaz nas tosses crônicas.

Arnica: O sumo vegetal é muito bom para curar feridas, nas contusões e fraturas. [Hoje pode ser encontrado na forma de gel para massagear o local das contusões; alivia e apressa a cura].

Arruda-silvestre: Provoca a menstruação e combate a anemia das adolescentes [ocasionada pela sua menstruação].

Artemísia: O chá é indicado contra a epilepsia e a coréia (distúrbio encefálico caracterizado por movimentos musculares espontâneos, que sugerem uma dança). Cozida em vinhos e ingerida em pequenas doses freqüentes é um excelente antiabortivo.

Camomila: Quando colhida na conjunção de Marte com a Lua e o Sol, tem o poder de curar nódulos linfáticos das doenças tumorais do tórax. Úteis em crises de histeria e nas febres intermitentes...

Canela: Pela destilação prolongada de suas folhas obtém-se um óleo avermelhado que funciona como excelente tônico, quando aplicado com massagens suaves (*).
(*) [Um Asilo de Idosos no Canadá observou que, quando adicionavam canela ao mingau de aveia ou ao café-da-manhã, os idosos adquiriam mais vitalidade e disposição... (Campos de Raphael)]. 

Celidônia: É importante escolher aquelas que nascem em ruínas ou locais abandonados. A raiz macerada é um bom remédio para a garganta e para as inflamações graves.

Cevada: O chá das sementes, ou as próprias sementes cozidas constituem um bom diurético e refrescante do sangue. [Eis aí uma boa dica para quem vive em cidades de clima mais quente].

Erva-cidreira: Paracelso ensinava que o chá desta planta alivia as dores do parto e auxilia a expulsão da criança e da placenta.

Erva-de-são-joão: Útil nas cólicas e nas diarréias dolorosas.

Laranjeira: A casca do fruto, em infusão, combate a hemorragia uterina. Como alimento, a fruta é benéfica para a garganta e os intestinos...
Loureiro: Suas vagens têm propriedades vermífugas. A ação de qualquer parte da planta é antimicrobiana. O suco das folhas, tomado na dose de 3 a 4 gotas diluídas em água, ajuda na menstruação, corrige os desarranjos do estômago, melhora a surdez, as dores de ouvido e as manchas do rosto. Ideal quando colhida sob a influência de Marte.

Nogueira: O chá das folhas, por decocção (2 xícaras grandes, duas vezes ao dia), é um bom tratamento para feridas, erupções cutâneas e tumores. Deve ser usado por tempo prolongado. Na Idade Média, o chá de nogueira era um famoso tratamento contra a sífilis. A casca da raiz é um forte antídoto para vários venenos e cura as inflamações da boca, além de ser vomitiva.

Oliveira: O óleo de oliva tem a propriedade de condensar energia vital e força energética quando ingerido ou utilizado em massagens vigorosas na pele. [O azeite virgem é também o mais saudável para as saladas].

Peônia: Com as sementes que surgem da primeira florada faz-se um colar para ser dependurado no pescoço de uma criança epiléptica; concomitantemente deve ser ministrado um chá da decocção de parte das sementes. O chá das folhas alivia as dores de cabeça e as dores do parto.

Sândalo-vermelho: A massagem com o óleo ou com o pó perfumado da casca é útil contra hemorragias.

Sene: O chá por decocção tem um forte efeito purgativo. Melhor quando colhido na Lua cheia.

Tanchagem: O chá da raiz é cicatrizante para úlceras internas e externas, bom nas enxaquecas e nos casos de fluxo menstrual muito abundante. Com as folhas prepara-se um cataplasma, ótimo tratamento para a febre amarela, disenteria e doenças inflamatórias dos olhos.

Videira: O cataplasma feito com uvas assadas e transformadas em pó é muito bom para as dores severas do abdome. O suco das folhas tem excelente aplicação nos casos de disenterias fortes...

Os Astros e as Plantas
"Uma vez que todos os planetas de nosso sistema solar orbitam aproximadamente o mesmo plano, vemos o Sol e os planetas desfilarem pelo céu sempre pelo mesmo caminho aparente. Este caminho percorrido pelos planetas, que leva o nome de Zodíaco, está dividido em doze constelações distribuídas em quatro grupos de três. Cada grupo está ligado a um dos elementos: terra, fogo, ar e água"...

Todos os planetas influenciam o reino vegetal de modo a imprimir nele suas principais características, mas o Sol e a Lua exercem sua influência de maneira mais acentuada.

 Iinfluência dos Planetas numa Árvore
Sol: Toda a planta.
Flores: Vênus.
Frutos: Júpiter.
Folhas: Lua.
Cascas e sementes: Mercúrio.
Tronco: Marte.
Raízes: Saturno.

A Lua, embora exerça maior influência sobre as folhas, à medida que passa pelas constelações transmite ao solo, e também ao reino vegetal como um todo, forças que vão beneficiar todas as suas partes. Por exemplo:

Raízes: são beneficiadas pela passagem da Lua pelas constelações regidas pelo elemento terra; - Folhas e caules: serão beneficiados pela passagem da Lua pelas constelações regidas pelo elemento água.

Flores: São beneficiadas pela passagem da Lua pelas constelações regidas pelo elemento ar. Frutos e sementes: são beneficiadas pela passagem da Lua pelas constelações regidas pelo elemento fogo...

As Fases da Lua & O processo vital dos vegetais.
"Através dos tempos, o homem observou que as fases da Lua estão ligadas ao aproveitamento correto da luminosidade que, embora menos intensa que a solar, penetra mais fundo no solo e, assim, acelera o processo de germinação das sementes"...

Dessa maneira, as plantas que recebem mais luminosidade lunar na sua primeira fase de vida, tendem a brotar rapidamente, desenvolvendo mais folhas e flores, realizando a fotossíntese com mais eficácia. Então:

Lua Nova: É boa para fazer podas, capinar o mato (porque demora mais para crescer), colher raízes suculentas e fazer adubação;

Lua Crescente: É boa para preparar a terra; semear e colher folhas e frutos; fazer enxertos; plantar flores e folhagens em vasos;

Lua Cheia: Não é boa para plantar nem transplantar e muito menos capinar, pois o mato cresce mais rapidamente. A seiva das plantas concentra-se toda nas extremidades e o ideal é não mexer nas plantas;

Lua Minguante: É boa para plantar e colher raízes; colher e armazenar grãos.

A seguir, a descrição das principais características das plantas segundo a influência planetária que sofrem assim como alguns exemplos de plantas que representam, no reino vegetal, as energias de cada um desses planetas...

Plantas Lunares: são de folhas grandes ou pequenas, mas abundantes; as flores são brancas ou de cores claras; os frutos são de gosto insípido e sem cheiro e em geral são de aparência bizarra; vivem na água ou bem perto dela; são frias, leitosas, narcóticas e anti-afrodisíacas; costumam ser usadas nas práticas de feitiçaria. Exemplos: agrião, erva-pombinha, tília, chapéu-de-couro, bananeira, abóbora, violeta amarela, trevo, margarida, lírio branco.

Plantas Marcianas: muitas são espinhosas e provocam ardor ao tocá-las. Os frutos podem ser venenosos, são ácidos, amargos e de gosto picante. Em geral são arbustos pequenos, com flores pequenas e vermelhas e podem ser prejudiciais à visão. Exemplos: orégano, coentro, cajueiro, guaraná, cardo-santo, alho-poró, alho, erva-de-bicho, alcachofra, uva-ursi, arruda, losna, urtiga.

Plantas Mercurianas: possuem folhas pequenas e de cores variadas; produzem flores e folhas, porém não frutos; são sinuosas ou ondulantes e de tamanho médio; as flores geralmente são amarelas, de odor penetrante, com sabores diversos, mas um tanto adstringentes. São plantas normalmente relacionadas com a mente ou trabalhos na esfera mental. Exemplos: valeriana, setesangrias, guaco, eucalipto, erva-lanceta, capim-cidró, canela-sassafrás, salsaparrilha, manjerona, hera, funcho, alfazema, acácia.

Plantas Venusianas: são afrodisíacas, com perfume quase sempre suave; produz sementes em abundância e se dá frutos, são doces e com aroma agradável; são plantas pequenas, muito floridas, com flores alegres e belas (cor de rosa) e possuem muitas flores, mas sem frutos. Exemplos: stévia, gengibre, erva-da-vida, erva-de-bugre, catuaba, catinga-de-mulata, algodoeiro, tomilho, poejo, mil-em-rama, malva, cerejeira, bardana, sabugueiro, violeta, rosa, hortelã...
Plantas Jupterianas: são plantas grandes, rústicas, com frutos abundantes e de aspecto esplendoroso. Os frutos são doces e as flores são muito bonitas, mas sem perfume, em geral azuis, brancas e violetas. Algumas vezes, as árvores podem esconder as flores. Exemplos: boldo, baicuru, anis, abacateiro, sávia, sabugueiro, pitangueira, picão, pau-ferro, jurubeba, jambolão, dente-de-leão, carvalho, carqueja, cardamomo, camomila.

Plantas Saturninas: são plantas melancólicas, tristes, sinistras, sombrias, pesadas e de caule duro; grandes e de forma rara. Produzem frutos sem flores de sabor amargo, acidulado e/ou acre. Se houver flores estas são, geralmente, sombrias, cinzentas ou negras. A reprodução é sem sementes, são resistentes e narcóticas e crescem lentamente. Exemplos: aroeira, avenca, cavalinha, cipreste, cominho, cancorosa, espinheira santa, salsa, taiviá, ipê-roxo, erva-mate, bolsa-de-pastor, amorperfeito.

Plantas Solares: são de altura média com flores geralmente amarelas com frutos bons de sabor agridoce. Movimentam-se na direção do Sol ou tem a figura deste em suas flores, folhas ou frutos. Algumas permanecem sempre verdes e são muito aromáticas. Tem grandes poderes mágicos e curativos. São usadas por suas virtudes de adivinhação, medicinais e contra “maus espíritos”.

A maioria das plantas medicinais são solares. Exemplos: artemísia, nogueira, tanchagem, marcela, estigmade milho, erva-cidreira, canela, calêndula, babosa, arruda, alecrim, erva-de-são-joão, laranjeira, camomila, açafrão, louro, melissa, girassol.

Girassol, Homeopatia & Astrologia:
A lei da correspondência em ação...
O que teriam em comum personalidades tão distantes no tempo e no espaço como Hipócrates, considerado o pai da medicina ocidental, Paracelso, médico e alquimista da Idade Média, e Samuel Hahnemann, o iniciador da medicina homeopática? 

Estes três homens reconheceram e utilizaram nas mais variadas formas, uma lei universal: “Assim como é em cima, é em baixo” [Hermes Trismegistus]. Essa lei universal tem sido redefinida nos mais variados campos da ciência. Ela é a base da astrologia moderna. Jung a introduziu no campo da psicologia com o nome de “princípio da sincronicidade”.

O princípio básico da Homeopatia, a lei da similitude, diz: “Semelhante cura semelhante”. Tal princípio nada mais é do que uma utilização prática, a nível da saúde, da lei universal descrita por Paracelso. Isso explica a afirmação Hipocrática de que um médico que não conhecesse a astrologia não estava preparado para o exercício de sua profissão.

Na Idade Média, os médicos-astrólogos acompanhavam a saúde dos reis através de suas cartas astrológicas. Na Renascença, astrônomos conceituados como Copérnico e Kepler levaram a uma ampliação do crédito da astrologia.

Nos dias atuais, pode parecer bizarro a união entre a medicina e a astrologia e nem poderia ser de outra forma, já que a medicina tem se tornado uma ciência da especialização e da divisão. No entanto, a medicina homeopática prioriza o homem como um todo, e nesse sentido continua sendo fiel aos princípios hipocráticos.

Em seu estudo sobre alquimia, Paracelso afirmou: “A fim de alcançar o verdadeiro significado da alquimia e da astrologia, é necessário ter uma clara concepção da íntima relação e identidade do microcosmo com o macrocosmo, e de sua interação. Todas as forças do universo estão potencialmente presentes no homem e no seu corpo; todos os órgãos humanos nada mais são do que produtos e representantes dos poderes da Natureza”...
Algumas das formas da astrologia auxiliar o homeopata, em sua busca da totalidade e de uma compreensão mais ampla do paciente, são:
- a identificação de áreas de vulnerabilidade e de sofrimento, tanto a nível emocional quanto físico.

- através de uma anamnese mais dirigida  [que desperta a memória[, o homeopata pode descobrir “pontos frágeis” que de outra forma poderiam passar desapercebidos.

- fica mais fácil conhecer em profundidade um paciente que, por exemplo, se limite a seus sintomas físicos, não oferecendo ao médico dados de seu temperamento, já que o mapa astrológico revela características da personalidade do indivíduo -  [assim como as características do anjo da guarda do dia de nosso nascimento].

- com bebês ou crianças pequenas o homeopata fica limitado ao relato dos pais. O mapa astrológico auxilia no reconhecimento prévio do potencial daquela personalidade, ajudando na eleição de medicações mais adequadas.

- através dos trânsitos, ou seja, dos ciclos astrológicos, o médico pode acompanhar o paciente em seus processos de vida, já sabendo com uma certa antecedência em que momentos a energia vital poderá ser alterada pelas inevitáveis mudanças da vida, espelhadas no mapa astrológico...
E estas são apenas algumas das utilizações da astrologia na homeopatia. Tanto uma como a outra utilizam a mesma linguagem, ou seja, a visão do todo baseando-se no mesmo princípio universal.

É chegado o momento de se resgatar instrumentos que colaborem para o bem estar do homem enquanto indivíduo e enquanto coletividade. A astrologia e a homeopatia estarão, juntas, trilhando importantes caminhos para atender à ânsia do ser humano em se religar com a harmonia do Universo... (Biografia – Vida e Obra de Paracelso Sociedade das Ciências Antigas, 24/28).
[Extraído de http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfajgAI/alquimia-paracelso?part=5 - Imagens anjosensinosluz e portaldeanjos.blogspot.com/].

   
 Dicas de Raphael & 'Anjos de Cura':
 

'Bicos de papagaio', dores de coluna, articulações, pedras nos rins? Podem provir da carência de magnésio no seu organismo! Veja o segredo médico revelado por este experiente Clínico, Dr. Luiz Moura:

Click e veja também:

  Que o Senhor da Vida e seus Anjos:
"Sejam lâmpadas para os pés à iluminar o teu Caminho!"

Click nos Anjinhos, e conheça:
 Click nos Anjinhos & Veja também;
 "A Divindade em mim, saúda a Divindade dentro de você!"
Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).
[Editado e repassado em 03 de Outubro de 2015. Rio das Ostras/R.J.  ].