sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A ECOLOGIA & O HOMEM CÓSMICO – Uma Estranha Cosmogonia. (Pedro Freire).

 
"Sabemos que não estamos inteiramente confinados, que nos estendemos em outras dimensões além do continuum físico. O espírito do homem se estende além do espaço e do tempo em um outro mundo. E deste mundo, que é ele mesmo, ele pode, se tiver vontade, percorrer  os ciclos infinitos”... (Alex Carrel). ['O Homem, esse Desconhecido'].

(*) "Somos seres espirituais vivendo experiências na forma humana"... E ninguém nasce num certo dia e hora por acaso, como se vê no mapa astrológico. Esquecemos, porém, a origem divina de nosso ser interior ao adentrar a veste humana, e a missão ou lições de vida escolhidas para vivenciar no mundo espaço-tempo. Mas, as características do 'Anjo da Guarda de seu aniversário' podem revelar qualidades e potencialidades que você escolheu experienciar neste 'campo quântico de possibilidades', para expandir a consciência do Self imortal, figurado as vezes como 'criança divina'... NOTE BEM: Embora a infância seja pré-determinada por fator kármico ou escolhas antes de nascer, temos a opção de mudar o roteiro a partir da adolescência e na vida adulta, rumo ao 'Bem Superior', ou para baixo, o 'Mal': "O que o homem semear, isso também colherá". [Paulo, Gálatas 6.7]. (Campos de Raphael).
 Happy Birthday

Escolha abaixo uma música que aquiete a mente e 'fale' ao seu coração... Minimize, reabra o portal e a ouça durante a leitura dos textos:
‘Merlin’s Magic’. Angelic Heavenly. (1h:02).
 
Dicas de Saúde - ('Anjos de Cura' de Raphael): 'Bicos de papagaio', dores de coluna, articulações, pedras nos rins? Podem provir da carência de magnésio no seu organismo! Conheça o segredo médico revelado pelo experiente Clínico, Dr. Luiz Moura:

A Ecologia & O Homem Cósmico – Uma Estranha Cosmogonia.

"Imagine/ o universo belo,/ justo e perfeito./ Então tenha a certeza de uma coisa:/ o Ser o imaginou bastante melhor/ do que você"... (Richard Bach)  - ['Ilusões'].

“O ‘ponto’ é uma figura geométrica sem dimensões. É dessa figura tridimensional, que tudo contém, que vamos partir para um visão estranha do Universo, de Consciência Cósmica... de Deus”...

O ‘ponto’ começou a se expandir e a primeira imagem que ele criou para sua expressão divina foi o Homem-Deus, ou seja, o Homem Cósmico. Esse Homem Cósmico continha em sua imagem todas as formas geométricas que a Mente divina projetou para sua expressão no cosmos – não desse cosmos finito que nós vemos, mas o Cosmos que está por detrás dele.

Essa forma do Homem Cósmico em suas ressonâncias divinas se multiplicou ao infinito. Esses seres divinos eram de duas naturezas complementares inseparáveis – os de ressonâncias pares e os de ressonâncias ímpares (o que corresponde em nosso mundo, ao homem e a mulher), porém não tinham sexo.

O processo de suas criações era por ressonâncias de vibrações complementares. Com esse Princípio Divino criaram suas moradas planetárias e estelares. Essa Humanidade Divina teve sua origem no ‘ponto’ inicial de todo o universo O universo oriundo desse ‘ponto’ é criação do Homem Divino, que o habita em harmonia e unidade. Ele não nasce nem morre; ele é eterno...
Para melhor compreensão desse ecossistema cosmogônico, trataremos apenas de nosso planeta. Nosso planeta tem dois aspectos – um interior ressonante, divino, e um exterior dissonante, material e ilusório.

O aspecto interior ressonante de nosso planeta é perfeito, isto é, divino. Contudo, nossa atual humanidade não mais assim o conhece, pois por sua própria decisão, ambição e egoísmo, um dia o homem perdeu a sua consciência divina, precipitando-se no aspecto exterior dissonante, ou seja, em sua densidade, criando os opostos e arrastando consigo toda sua natureza divina para a natureza densa – mineral, vegetal e animal -, e ele próprio tornou-se um animal.

Separou-se da Consciência Cósmica, ou de Deus – e teve uma visão diferente das coisas, visão essa que se tornou massa com sua lentidão, peso, calor, longe e perto.

Surgiram então as necessidades humanas, mesmo assim Deus continuou vivo dentro dele, como sempre, porém a consciência divina no homem tornou-se subconsciente, e o ser humano colocou nesse subconsciente o egoísmo e todas aa mazelas oriundas dessa separação.

Com isso surgiu o ego, deturpação do verdadeiro Eu Divino, e a Roda das Encarnações para resgatar a sua Divindade, compromisso que ele assumiu consigo mesmo e com a natureza que ele arrastou para o aspecto dissonante, ou seja, para o mundo da densidade...
Vejamos o que diz, em paralelo ao exposto, Alex Carrel em seu livro 'O Homem, esse Desconhecido':

“Devemos libertar o homem do cosmo criado por gênio dos físicos e dos astrônomos, cosmo esse no qual está mergulhado desde a Renascença. Apesar de sua beleza e de seu tamanho, o mundo da matéria inerte é muito estreito para ele. Da mesma forma, o nosso meio econômico e social não é feito à nossa medida. Não podemos aderir ao dogma de sua realidade exclusiva".

"Sabemos que não estamos inteiramente confinados, que nos estendemos em outras dimensões além do continuum físico. O espírito do homem se estende, além do espaço e do tempo, em um outro mundo. E deste mundo, que é ele mesmo, ele pode, se tiver vontade, percorrer os ciclos infinitos”.

“O ciclo da Beleza, que contemplam os sábios, os artistas e os poetas. O ciclo do Amor, inspirador do sacrifício, do heroísmo, da renúncia. O ciclo da Graça, suprema recompensa daqueles que buscam com paixão o Princípio de todas as coisas... É necessário nos levantar e nos colocar em marcha. Libertar-nos da tecnologia cega. Realizar, em sua complexidade e riqueza, todas as nossas potencialidades”...
A Ecologia de hoje tem a responsabilidade de preservar a natureza para o grande retorno do Homem e de seu planeta ao estado divino original, para que o Homem e a sua Consciência Divina ressoem em sua grande Unidade. Este grande momento está prestes a eclodir. [Extraído de ‘Alvorecer’, p. 15. Ed. Especial. Maio 1995].

Click nos Anjinhos e conheça:
 Click nos Anjinhos & Veja também;
 Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).