sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Anjos do Passado e do Presente - (Ambika Wauters).


 Happy Birthday(*) "Somos seres espirituais vivendo a experiência humana"... Ninguém nasce num certo dia e hora por acaso, como mostra o seu mapa astrológico. Esquecemos, porém, a origem de nosso ser interior ao adentrar a veste física, a missão e lições escolhidas para vivenciar numa veste feminina ou masculina. Do mesmo modo, o 'Oráculo do Anjo da Guarda' de seu aniversário pode revelar certas potencialidades que você escolheu experienciar no 'campo quântico de possibilidades', para expandir a consciência do Self imortal, às vezes figurado como 'criança divina'...  NOTE BEM: Embora a infância seja pré-determinada por fatores de vidas passadas, temos sempre a opção de mudar o roteiro, na adolescência ou vida adulta: rumo ao 'Bem superior', ou para baixo, o 'mal'. Tudo faz parte do aprendizado. 'Karma' (escolha e ação) é lei universal: "O que o homem semear, isso também colherá". [Gl 6.7]. (Campos de Raphael).

Música suave atrai a presença dos anjos... Escolha abaixo àquela que aquiete a mente e fale ao seu coração. Pare e escute... Reabra o portal e ouça música durante a leitura:

VÍDEOS. 'Vivendo & Aprendendo' (Click):
3. 'Em Harmonia com a Natureza'. (Rafael Zamora Padrón).
4. Amor de mãe. Beija-flor cuida de filhote caído do ninho. (Publicado no Youtube por ‘birdvett’, em 14/09/2009. [Ano que iniciei este trabalho solidário de informação sobre Anjos]... O vídeo, informa:“Filhote de beija-flor que caiu do ninho e devido à confiança de sua mãe é alimentado na mão de quem o ajudou... Esse vídeo foi gravado em Campo Grande, MS, na varanda da casa dos meus pais. - Esse é o original!!! ('birdvett').



Anjos do Passado e do Presente – (Ambika Wauters).
“A alma em seu nível mais elevado é semelhante a Deus, mas um anjo oferece uma ideia mais aproximada d’Ele. Isto é um anjo: uma ideia de Deus”. (Meister Eckhart. ‘Sermões’).

“Os anjos são o mais próximo que podemos chegar [da ideia] de Deus. O conhecimento que temos deles provém de relatos escritos sobre experiências reveladoras e místicas de alguns indivíduos”...
Os anjos são citados em registros de acontecimentos marcantes da civilização durante os quais ocorreram grandes mudanças da consciência humana. Podemos citar, por exemplo, anjos que se revelaram a homens e mulheres cuja missão era serem líderes que levassem outras pessoas rumo a uma maior percepção e uma responsabilidade moral de monta.

Há várias obras que narram a ajuda e o apoio dos anjos aos judeus do Antigo Testamento em sua luta pela liberdade. Por meio da literatura hebraica, podemos compreender a natureza do amor e da graça que eles concederam à humanidade. Em hebraico, os anjos são chamados Malach.

Entre as histórias bíblicas favoritas, encontram-se a do anjo que se apresentou a Abrão, intercedendo a favor de seu filho Isaac, e a dos anjos que auxiliaram Daniel e livraram Sidrac, Misac e Abebnego da fornalha.

O Livro do Apocalipse e os Manuscritos Apócrifos descrevem os anjos como mensageiros do Senhor, criados para revelar o Amor d’Ele pela humanidade. O Evangelho de São Lucas cita a passagem em que o anjo Gabriel anuncia a Maria que ela daria à luz o Cristo.
O termo ‘anjo’ deriva da palavra grega angeloi [aggelos], que significa ‘mensageiro’. Eles têm um papel de destaque ao longo do Alcorão e uma presença significativa em textos islâmicos sagrados. O Alcorão narra, por exemplo, como em uma noit estrelada, Gabriel levou Maomé até o Céu e ditou-lhe todo o Livro Sagrado. Tal acontecimento é exaltado como divino, e marca a celebração celestial de um código ético e sagrado observado por todos os seguidores do islamismo.

Portanto, três das principais religiões da civilização moderna [ocidental] consagraram e abençoaram a presença dos anjos. Basta observar os antigos textos que formam o alicerce e os fundamentos dessas religiões para compreender a importância da ação dos anjos como mensageiros de Deus no passado. O modo como estabelecemos uma relação entre esses antigos ensinamentos e milagres e nossa compreensão cotidiana forma a base de nossa experiência atual com essas prodigiosas criaturas de luz.

Espero que a postura religiosa tradicional a respeito dos anjos não o impeça de abrir-se à possibilidade de conhecer e sentir o amor e a cura que eles nos oferecem.

Os anjos, na verdade, pertencem a toda a humanidade e não a uma religião específica. Podem servir como agentes do crescimento pessoal e da evolução espiritual – só nos é necessário dar espaço para sua presença em nossa vida, de modo a criar um contexto espiritual em que desenvolvamos a capacidade de amar e de ser amados.

Os anjos têm um papel ativo em nossa vida, pois precisamos de sua ajuda para nos relacionar com a Fonte Divina. Além disso, eles nos protegem, orientam e ajudam a realizar nosso potencial criativo, tornando nossa caminhada mai suave e serena.

Durante a modernidade, dois pensadores influentes, Emanuel Swedenborgh e Rudolf Steiner, contribuíram para uma mudança da percepção dos anjos, abandonando o ponto de vista religioso e apresentando uma visão humanista.

Emanuel Swedenborgh, filósofo sueco que viveu no século XVIII, teve experiências místicas profundas, declarando que foi levado à esfera do Céu e presenciou as hierarquias celestes. O filósofo descreveu em suas obras  completo amor e harmonia do reino angélico e narrou que os anjos tinham suas próprias moradas e viviam em perfeita paz e harmonia – era, com certeza, felizes...

Swedenborgh descreveu os atos de amor e caridade realizados pelos anjos, dizendo que sua maior alegria era nos orientar e proteger: 'Eles são a imagem do Senhor. Portanto, amam o próximo mais do que a si mesmos e, por esse motivo, o céu é o céu'.

Próximo à virada do século XIX para o XX, Rudolf Steiner, cientista e filósofo alemão, estudou todas as ciências esotéricas. Ele tinha um entendimento profundo e amoroso dos anjos, e considerava que o propósito deles era o de serem professores espirituais, ajudando a humanidade a atingir um nível mais elevado de espiritualidade e desenvolvimento interior.

Steiner afirmava que, quanto mais evoluímos espiritualmente, mais nos aproximávamos da esfera dos anjos. Achava, por exemplo, que o Arcanjo Miguel era o anjo guia da Nova Era, e que ajudaria a humanidade a sair do estado caótico e desencorajador no qual estava imersa, para uma era de luz e consciência a espiritual.
Um aspecto importante de sua obra é a descrição de como os anjos se comunicam conosco, o que, de acordo com ele, acontece por meio de imagens. Em sua opinião, precisamos desenvolver a imaginação e a intuição para decodificar o que os anjos querem nos revelar.

Nosso contato com os anjos, com efeito, nos liberta da negatividade e expande nossos padrões mentais quanto à realidade física, ajudando-nos a desenvolver a intuição e a aumentar a capacidade criativa. Ao meditar sobre os anjos, livramo-nos de padrões de pensamento negativo e nos abrimos às mensagens celestiais.

Tais mensagens são canalizadas pelo hemisfério direito do cérebro, que possui a capacidade de síntese possibilitando captar informações, reuni-las e criar imagens. Essa é a parte do cérebro que é estimulada pela música, pelas cores e pelo tato, e revela-se a partir de imagens e símbolos, de modo que as conclusões, mais do que os resultados, tenham uma qualidade metafórica.

O hemisfério direito discerne, não julga e é inclusivo, diferente do hemisfério esquerdo, que é exclusivo, dividindo e compartimentando informações por meio de um processo analítico. O hemisfério direito reúne informações de acordo com um padrão coerente e abrangente, e é a partir dele que com seguimos ter acesso às imagens angélicas que recebemos.

Logo, é importante encontrar prazer e alegria na arte, na música, na dança e no toque, o que nos permite abertura para entrar em contato com a Fonte Divina pela  experiência direta. O que buscamos, na verdade, é o equilíbrio entre os dois hemisférios de modo a usar o cérebro em toda a sua capacidade.

Na opinião de Steiner, cada visão que recebíamos era parte de uma imagem codificada de nossa felicidade absoluta. Quanto mais desenvolvêssemos nossa intuição, mais fácil seria compreender essas informações e tomar decisões acertadas. Dessa forma, teríamos uma vida saudável e tranquila, a serviço de nosso bem maior, contribuindo para a evolução da humanidade. 

"Segundo o filósofo, os ensinamentos angélicos abrangiam três vias. Em sua opinião, cada um de nós encontraria seu próprio vínculo direto com o divino e, por fim, viveria livremente, reconhecendo a Fonte Divina em si próprio e no próximo". [Extraído de 'O Oráculo dos Anjos', p. 13/16. Ambika Wauters. Madras Editora. 2011].
Conheça também:
   Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).