quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

A Cosmologia de O Terceiro Milênio: Uma Visão Otimista da Vida. ('O Terceiro Testamento' - Martinus).

 (*)(*) Antes de nascer, você eu já vivemos. E o 'Oráculo Angélico' revela, através de características de nossos Anjos da Guarda pessoais, o que viemos fazer neste "campo quântico de possibilidades": expandir a consciência da "criança divina" -, 'Deus em nós', o Self imortal. Mas esquecemos nossa origem divina ao adentrar a veste física, qual a missão escolhida e as lições a ser apreendidas no embate das "forças dos opostos"... NOTE BEM: Embora a infância seja pré-determinada, é-nos dado mudar o rumo da vida, na adolescência e vida adulta - para o 'bem' ou o 'mal'; para baixo ou o Alto... "Destino" é fruto de tudo aquilo que, no hoje vivente, você escolhe! (Campos de Raphael).

Música suave atrai a presença dos Anjos. Escolha àquela que aquiete a mente e fale ao seu coração. Minimize-a, reabra o portal, e ouça sua música durante a leitura: 
 Mensagem de Aniversário.Guardião do Dia: ‘ALADIAH’: ‘Deus propício’. Este anjo protege os nascidos em 15/01, 29/03, 10/06, 22/08 e 03/11. “Quem nasce sob esta proteção angélica tem bom coração, é correto em seus empreendimentos, e terá uma vida social intensa. Trabalhará muito e não medirá esforços para que se viva numa sociedade mais justa. Dotado de grande imaginação, autoconfiança, flexibilidade e capacidade de escolher sempre o melhor caminho ou oportunidade. Será uma pessoa portadora de harmonia. Poderá fazer sucesso na medicina, instituições hospitalares, psiquiatria, assistência social, enfermagem e nos empreendimentos farmacêuticos”... Saiba mais: 'Aladiah' - 10º Anjo. Categoria 'Querubins'. [Fonte: 'viverempaz.com].
QUERUBINS: Seus oito anjos são regidos por um nono, o Príncipe-Arcanjo Haziel. "Aqueles que são regidos pelos 'Querubins' são sinceros e tentam sempre reconciliar as pessoas. São amigos verdadeiros e transparecem essa verdade em seu comportamento". [Fonte: 'Tudo o Que Você Queria Saber Sobre Anjos'. (Claudia Maria Janssen. Universo dos Livros]. (*).
Sejam Bem-vindos!





                                                              
(*) O Oráculo dos Anjos revela o que viemos fazer neste "campo quântico de possibilidades": expandir a consciência da ‘criança interior’ - no ser profundo, imortal. Mas, ao adentrar a veste física, esquecemos a origem divina, a missão escolhida e as lições a ser apreendidas no embate das "forças dos opostos". NOTE BEM: Embora a infância seja pré-determinada, é-nos dado mudar o rumo da vida -, para cima ou para baixopara o ‘bem’ ou para o 'mal' -, na adolescência e vida adulta. "Destino" é fruto de tudo o que no hoje vivente você escolhe... (Campos de Raphael).


Conheça a si próprio: Enquanto sua vida for um mistério, os enigmas do universo permanecerão também um mistério. A Cosmologia de Martinus, uma descrição da existência em sua totalidade, lida primeiramente com cada um de nós mesmos e os pré-requisitos para nossa existência. O lema para esta visão de mundo é “Conheça a si próprio e você conhecerá todo o universo”.

O universo é um ser vivo: O pensamento central de Martinus é que o Universo é um Ser Vivo que está vivendo e pensando. O Universo é um todo orgânico que consiste de seres vivos, todos trabalhando como um Único Ser. Todos os seres vivos juntos constituem esse Único Ser. Através da religião, fomos apresentados a esse Ser que a tudo abarca pelo termo “Deus”.

A totalidade da existência é uma unidade indivisível. Através das leis naturais e a capacidade de vivermos em perfeita harmonia com todos será gradualmente desenvolvida. Eventualmente, nós iremos adquirir a consciência cósmica. Seremos “Um com a Vida”. Nós cumpriremos então as leis da vida, e amaremos nossos semelhantes como a nós mesmos...
 
Nada de religião, nem associações: A Cosmologia de Martinus não é uma religião. Não há como se tornar membro da Cosmologia de Martinus. Cosmologia descreve a totalidade da existência. Todos e tudo são membros dessa totalidade da Vida. Martinus não deseja ser seguido por um rebanho de convertidos ao seu trabalho, nem deseja que acreditemos no que escreveu, mas prefere que descubramos através de nossas próprias experiências que sua obra está em concordância com a realidade.

Martinus não deseja ditar modelos morais. Ele nos mostra que a própria vida escreve um modelo moral mais alto em nossos corações e cérebros. Martinus criou uma ciência espiritual para mostrar, através de análises, as condições básicas para a existência da vida. A verdade é cósmica e universal.

Uma visão cósmica da vida: Em seus trabalhos, Martinus introduz uma nova visão de vida, uma visão cósmica da vida. Nossa vida física atual na Terra é vista dentro do contexto da evolução cósmica. A vida é eterna. Para compreendê-la, devemos vê-la desde uma perspectiva eterna...
 
Do animal ao verdadeiro ser humano: Do ponto de visto evolutivo, o homem é um animal altamente desenvolvido. Esta visão tem sido amplamente aceita. A novidade na ideia de evolução apresentada por Martinus é que nós como indivíduos tomamos parte pessoalmente no processo evolutivo. Somos seres em transição, parte animais e parte seres humanos. Somos “seres esfinge”. Nossas tendências egoístas vêm da luta por sobrevivência no reino animal. Ali, a luta era uma necessidade, uma virtude. Hoje as tendências animais inatas ameaçam a existência da humanidade.

Durante a evolução, o egoísmo tornou-se uma característica automática, que inconscientemente direciona as nossas ações para objetivos que são primordialmente para o nosso benefício próprio. Em nossa alma, uma luta está sendo travada, entre nossa prévia mentalidade animal e [o alvorecer humano] a madrugada humana de nossa consciência. Nosso destino cósmico é nos tornarmos cidadãos do verdadeiro reino humano. A base da vida nesse reino será a ausência de egoísmo e o amor ao próximo...



Criamos nosso próprio destino: Por que as pessoas experimentam tantos tipos diferentes de destino? Por que há tanto sofrimento quando aparentemente não há culpa alguma? Enquanto formos “cegos para o fato da eternidade” não veremos as mais profundas causas do nosso destino.

Nós [ainda] não temos consciência sobre o fato de que a nossa existência física atual é apenas um elo num plano muito maior, o segmento de um processo evolucionário que está eternamente em progresso. Então não nos damos conta de que nossa vida presente é uma consequência de nossos pensamentos e comportamentos. Da mesma forma deixamos de ver que nossos pensamentos e ações de hoje criam um padrão de destino que iremos experimentar em vidas futuras.

Martinus analisa a estrutura eterna da vida e diz que a morte não existe. Vemos ao nosso redor instrumentos e organismos, não a própria vida. Os instrumentos são continuamente renovados, construídos e demolidos. A Fonte, a própria Vida, segue eterna.

Nós temos instrumentos físicos e instrumentos espirituais. Vivemos em dois mundos, um físico e um espiritual. Mas somos conscientes apenas do mundo físico. Por isso nosso destino é um mistério. De acordo com Martinus, nós criamos nosso próprio destino e isso é decidido pelo que pensamos e o que fazemos. Nosso destino, o futuro, está em nossas mãos. E em nosso [ser] interior profundo há forças latentes esperando para ser utilizadas...
 
O propósito do sofrimento: Os sofrimentos do mundo têm algum propósito? Sim. De acordo com Martinus, o sofrimento tem uma importante missão. O sofrimento nos transforma e lentamente cria em nós uma capacidade de simpatia e humanidade - [Empatia: "a capacidade de sentir o que o outro está sentindo, ao colocar-se na situação e circunstâncias experimentadas pela outra pessoa"]. Sofrer, porém é ainda uma consequência inevitável da prática das leis da vida do reino animal: “cada um por si”.

Causar sofrimento ao próximo é uma expressão de ignorância [falta de conhecimento mais profundo] da lei do destino: “O que o homem semeia, é o que o homem colhe”. Não sabemos o que fazemos. Mas ao colher o que semeamos, vamos aprendendo a diferenciar entre o bem e o mal. E quando nos apoiarmos nisso, a consequência natural será fazer o Bem. E esse Bem superior se tornará a nossa forma de nos manifestarmos conscientemente...
 
Há justiça na vida? - É importante ter confiança de que a Justiça [divina] prevalece na vida. O sistema judicial humano está se desenvolvendo em direção a uma justiça maior. De acordo com Martinus, a própria ordem do Universo garante a existência das leis eternas e a presença de Justiça em todas as circunstâncias e eventos da vida. Ninguém pode experimentar nada além das consequências de suas próprias ações, e assim ninguém sofre injustamente. Não são aqueles a quem chamamos inimigos as causas de nossos sofrimentos. As pessoas são apenas instrumentos de reações das consequências de nossas próprias ações anteriores, algumas vezes de outras vidas passadas.

A “raiz de todo mal” está dentro de nós. De acordo com Martinus, o homem é inconscientemente o seu maior inimigo. E assim como não podemos experimentar o sofrimento além do que infligimos aos outros, podemos também começar a pressentir uma Justiça maior por trás de todos os eventos e por trás de todas as coisas...


 
O propósito comum da raça humana para o futuro: Toda a evolução está baseada nas leis universais. Dentro das leis cósmicas fundamentais, é possível entrever o propósito comum da humanidade para o futuro. Assim como dia e noite, verão e inverno seguem um ao outro com absoluta regularidade, assim também a luz mental segue a escuridão mental, e o amor terreno segue o ódio.

O objetivo cósmico da evolução para a Terra é a criação de um reino global de paz. A evolução resulta na realização dos estados unidos do mundo e na criação de um sistema judiciário internacional. Em sua cosmologia, Martinus analisa as condições necessárias para o desenvolvimento gradual de [consciência] um estado mundial. Tal estado, entretanto, não pode ser criado através de imposições, mas apenas através da evolução da consciência [expansão consciencial]. 

“Com sua visão cósmica mundial baseada em análises lógicas, Martinus mostra que o amor ao próximo aqui na Terra é uma consequência da ordem [cósmica] e das leis universais. O Amor ao próximo - [incluindo os animais que vivem próximos de nós, pois seu estágio de consciência precede o estágio do nível humano] - é uma combinação harmoniosa de inteligência e sentimento, a condição mental que está em perfeita harmonia com o Amor, a nota básica do Universo”... (Martinusonline.net) [*].

[*] NOTA: Repassamos ‘A Cosmologia de Martinus' não só porque contém a Eterna Verdade, que se pode reconhecer pela experiência da vida, mas também porque Martinus nos antecipa, qual profeta do Terceiro Milênio, o novo estado de consciência a que a humanidade, ou pelo menos parte dela, pode elevar-se pelo fluxo de energias cósmicas que ora atuam sobre a Terra e aceleram a frequência vibratória do planeta, em sintonia perfeita com as forças da Era de Aquário. Essas poderosas influências cumprem o eterno Plano Divino de expansão da consciência de nosso ser interior, imortal, fato que se repete a cada ciclo de 26 mil anos, como previsto nas 'Profecias Mayas'.

Nossa atual conduta de vida mantém-nos ainda na frequência vibratória da consciência animal, egoísta e violenta, resquício da lei de sobrevivência no reino animal. No entanto, prevalece sempre a Lei universal de livre escolha, e cada ser pode determinar sua elevação, qual Filho Pródigo, ao optar por deixar para trás “a comida dos porcos”. Só depois desse novo estado de consciência -, livre do medo de um deus cruel e caprichoso, criado à imagem e semelhança do homem terreno -, que ele pode alçar-se ao verdadeiro Estágio Humano. 
 
Quem vivencia experiências espirituais profundas, tende a tornar-se vegetariano, como Martinus. Quem se diz espiritualista, amar aos animais e continua a alimentar-se de sua carne, mentem para si mesmos, porque participa indiretamente da matança cruel nos matadouros. Quando se mata um animal, impedimos a continuidade de expansão da sua consciência-alma e, consequentemente, atrasamos karmicamente também o processo de expansão espiritual de nosso ser interior, imortal, ao infligir a lei cósmica universal: "O que o homem semear isso colherá". 

Há 60 anos, graças a Deus e Seus Anjos, foi nos dado livrar o sangue e a consciência do fardo cármico do sofrimento dos animais, logo após a 'experiência de quase-morte' de a companheira de jornada, quando optamos então conscientemente pelo vegetarismo... Na verdade: "Viveis para aprender a amar. Amais para aprender a viver. Nenhuma outra lição é exigida do Homem”. [‘O Livro de Mirdad’].

E hoje se sabe que Jesus já nasceu vegetariano. Fato testificado em 'O Evangelho dos Doze Santos' ('O Evangelho da Vida Perfeita'), como nos evangelhos essênios enterrados em vasos na região do Mar Morto, e em Nag Hammadi (Egito). Assim, veio à luz toda a série de extirpações e alterações dos ensinos originais de Jesus Cristo, feitas nos Quatro Evangelhos do Novo Testamento, por razões política-doutrinárias, durante os Concílios de Niceia (325 d.C.) e o Concílio de Constantinopla (553 d.C.).

Sabemos agora que Jesus ensinou  'O Renascimento da Alma', no sentido do ciclos de reencarne, e também a lei do Karma, implícita na "Cura de um cego de nascença", em João, cap. 9. (Clic e confira)'A História Original do Nascimento de Jesus-Maria, Chamado Cristo' - 'O Evangelho da Vida Perfeita'. (Campos de Raphael).
 Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).