sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O TESOURO ESCONDIDO - HISTÓRIA VERÍDICA?! (Joseph Campbell)

Clic e veja tb: 'A História do Tesouro Perdido'.
INTRÓITOS: “Se quisermos possuir a sabedoria precisamos aprender a obtê-la”.
[‘O Segredo da Flor de Ouro’, C.G. Jung Vozes]. 
“Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior. A inferior é quanto uma pessoa sabe e a sabedoria superior é quanto ela tem consciência de que não sabe... Tenha a sabedoria superior: seja um eterno aprendiz na escola da vida”. (Chico Xavier).
(Clic): Lição de Vida para o Mundo Todo: ‘Universidade dos Pés Descalços’, para comunidades pobres da Índia, África e Afeganistão. (Vídeo. Lucy Sem Fronteiras).
•Clic tb. Bunker Roy:  The Rural Women Solar Engineers of Africa.

'O Tesouro Escondido' - História Verídica?! - (Joseph Campbell).
“Certa noite, o devoto e fiel rabino Eisik teve um sonho, no qual lhe era dito que fizesse uma longa viagem até Praga, capital da Boêmia [hoje Rep. Tcheca], para descobrir um tesouro escondido, enterrado sob a ponte principal que levava ao castelo do rei. Surpreso, o rabino adiou a partida. Mas o sonho repetiu-se por mais duas vezes. Depois do terceiro aviso, reuniu coragem e iniciou a jornada.

Chegando à cidade que era seu destino, o rabino Eisik viu que sentinelas guardavam a ponte dia e noite; e não se atreveu, portanto, a fazer nenhuma escavação. Limitava-se a voltar a cada manhã e a perambular até o anoitecer; ficava a olhar a ponte, observando as sentinelas e examinando, sem tentar coisa alguma, a alvenaria e o solo.

Por fim, o capitão dos guardas, curioso com a insistente presença do ancião, aproximou-se e perguntou-lhe com gentileza se perdera alguma coisa ou se esperava alguém. Era um capitão simpático, apesar de seu bigode feroz, e Eisik sentiu afeição por ele. O rabino, com simplicidade confiante, contou-lhe então o sonho, e o oficial recuou um passo, rindo:
- És, na verdade, um pobre homem! – disse-lhe o capitão. Gastaste os sapatos nessa longa caminhada só por causa de um sonho? Quem, sendo sensato, acreditaria em sonhos? Olha, se eu acreditasse neles, estaria fazendo o contrário do que faço neste preciso momento. Teria feito uma peregrinação tão tola como a tua, com a diferença de que tomaria a direção oposta, mas chegando, sem dúvida, a um resultado igual. Deixa-me contar-te o meu sonho.

– Sonhei com uma voz, que me falou de Cracóvia - disse o oficial cristão da guarda boêmia. Ordenou-me que fosse até lá procurar um grande tesouro na casa de um rabino chamado Eisik, filho de Jekel! – riu-se de novo o capitão, com um brilho no olhar, concluindo:

– Imagina só, ir até Cracóvia e pôr abaixo as paredes de todas as casas do gueto, onde o nome de metade dos homens é Eisik e da outra metade Jekel! Eisik, filho de Jekel, além de tudo! – e ria sem parar dessa inacreditável pilhéria.

“O modesto rabino, porém ouviu-o com ansiedade; agradeceu ao amigo estrangeiro e, despedindo-se com uma grande mesura, voltou apressado ao lar distante. Escavou um canto esquecido da casa e descobriu o tesouro, que o livrou da miséria. Construiu, então, com parte do dinheiro, uma casa de orações que até hoje leva o seu nome”...
[Cf. ‘Mitos e Símbolos na Arte e Civilização da Índia’, p.176/9, Heinrich Zimmer/Joseph Campbell.Ed. Palas Athena, 1989].