terça-feira, 4 de outubro de 2011

A VERDADE DEVE SER PREGADA A TODOS... - (‘O Livro de Mirdad' – 'Um Farol e um Refúgio’).

"Assim como é em cima, é embaixo"... O universo exterior e o microcosmo humano formam um só Todo. "Somos todos UM!" (Clic): Astrologia Real (Quiroga).
V. já notou como o tempo, a manhã ensolarada ou chuvosa, influenciam a disposição mental? Sabia que as fases da lua afetam não só o fluxo das marés como o fluxo de energias no corpo humano?!
“A lua afeta a natureza e todas as coisas vivas”. (Clic): Meteorologia e as Fases da Lua.
Exemplos: (Clic) Influências astrológicas e a lua cheia. Clic tb: Lua Cheia. Festa de Wesak.

Anjo Guardião: V. ainda não conhece o seu?!
(Clic): "Descubra seu anjo pelo mês de nascimento".
E veja tb (Clic): portaldeanjos.blogspot.com/

"A Verdade deve ser pregada a todos, ou somente a uns poucos escolhidos?"

Mirdad: "Vosso fôlego solto ao vento certamente encontrará asilo em algum coração... Não procureis saber a quem pertence o coração. Cuidai apenas de que o alento seja puro".

"Vossa palavra procurará e encontrará certamente algum ouvido. Não pergunteis de quem é o ouvido. Cuidai somente de que a palavra seja uma mensageira legítima da Liberdade".

"Vosso pensamento silencioso certamente moverá alguma língua a falar. Não pergunteis de quem é a língua. Verificai somente se o pensamento vosso está cheio de amorosa Compreensão".

“Não penseis que algum esforço possa ser desperdiçado. Algumas sementes ficam enterradas por muitos anos, mas rapidamente germinam e brotam quando estimuladas pelo alento da primeira
estação favorável”.

“A semente da Verdade está em todos os homens e em todas as coisas. A vossa tarefa não é semear a Verdade, mas preparar a estação favorável para que a semente possa brotar”.
“Todas as coisas são possíveis na eternidade. Não vos desiludais, portanto, da libertação de quem quer que seja, mas pregai a mensagem da Liberdade a todos com a mesma fé e zelo – ao que não anseia e ao que anseia por ela, pois aquele que hoje não anseia certamente virá a ansiar, e os que agora nãos têm asas um dia estenderão as suas ao Sol e voarão aos inacessíveis paramos”... [Ω]. [Extraído de ‘O Livro de Mirdad’ – Um Farol e um Refúgio. Cap. 27. Mikhail Naimy. 1965. Editora Rosacruz-Áurea].