segunda-feira, 19 de setembro de 2011

AMOR - O CENTRO DE TUDO. (Joseph Campbell e Campos de Raphael).

“Uma vez que Sua Essência é Amor, Deus aparece diante dos anjos como um sol… E, desse sol, irradiam-se calor e luz; o calor sendo o Amor e, a luz, a Sabedoria. E os anjos são amor e sabedoria, não por si mesmos, mas por causa de Deus”. – Emanuel Swedenborgh. (’Angelic Wisdom’).

"Assim como é em cima, é embaixo"... O universo exterior e o microcosmo humano formam um só Todo: "Somos todos UM!" (Clic): Astrologia Real (Quiroga).
V. já notou como o tempo, a manhã ensolarada ou chuvosa, influenciam a disposição mental? Sabia que as fases da lua afetam não só o fluxo das marés como o fluxo de energias no corpo humano?!
“A lua afeta a natureza e todas as coisas vivas”. (Clic): Meteorologia e as Fases da Lua.
Exemplos: (Clic) Influências astrológicas e a lua cheia. Clic tb: Lua Cheia. Festa de Wesak.

Anjo Guardião: V. ainda não conhece o seu?!
(Clic): "Descubra seu anjo pelo mês de nascimento".
E veja tb (Clic): portaldeanjos.blogspot.com/
»Deo est circulus cuius centrum est ubique, cuis circunferentia vero nusquam». - “Deus é uma esfera (círculo) cujo centro está em toda parte, e cuja circunferência em parte alguma”. (Pascal, citado por Joseph Campbell).

Há semanas atrás, recebi por e-mail a mensagem "A Grande Transição", e me chamou especialmente a atenção a saudação final, “Luz, Paz e Amor”, e explico por que...

Há anos, no "portaldeanjos.blogspot.com", finalizo os intróitos com saudação quase idêntica: "Luz, Amor e Paz!" – As palavras são as mesmas, porém o Amor está no centro, entre Luz e Paz, em razão de uma profunda experiência aos 34 anos de idade, entre as ruínas de um castelo templário em Montréalp-de-Sos no Sul da França. E logo a seguir descemos até a cripta onde os cavaleiros eram iniciados em meio aos símbolos do Santo Graal, esculpidos na rocha.

Mais tarde descobri ser ali o histórico castelo francês do Graal, cujos cavaleiros templários consideravam o 34 como número sagrado. E somente então conscientizei-me, profundamente agradecido, tratar-se de uma coincidência significativa propiciada pelos anjos - os agentes da Sincronicidade!

Foi nesse 'Castelo do Graal' que experienciei aflorar do âmago do coração, morada do ser profundo imortal, uma energia-amor que interage com o centro de tudo o que nos rodeia, desde a pequenina flor na relva às poderosas montanhas dos Pirineus. E compreendi por que os monges cátaros clamavam aos seus algozes: "Deus é Amor!".

De certo modo, hoje o fato me lembra a visão de Black Elk, índio americano sioux que relatou a sua experiência aos nove anos de idade: "Eu vi a mim mesmo na montanha do centro do mundo, o lugar mais alto, e tive uma visão, porque estava vendo do modo sagrado de ver o mundo... Mas a montanha do centro do mundo está em toda parte"...

Joseph Campbell nos conta essa história e explica: “O centro do mundo é o axis mundi [eixo do mundo], o ponto central, o pólo ao redor do qual as coisas giram. O ponto central do mundo é o ponto em que o repouso e o movimento se encontram. Movimento é tempo, mas repouso é eternidade. Ter consciência deste momento da sua vida como um momento de eternidade, vivenciar o aspecto eterno do que você está realizando no plano temporal – essa é a experiência mitológica”.
“Assim, a montanha do centro do mundo está em Jerusalém? Em Roma? Em Benares (Índia)? Lhasa? (Tibete). Na Cidade do México?!"

- "Há uma definição de Deus que tem sido repetida por muitos filósofos. Deus é uma esfera inteligível - uma esfera acessível à mente, não aos sentidos - cujo centro está em toda parte e a circunferência, em parte nenhuma. E o centro se localiza exatamente aí onde você está sentado. E onde eu estou sentado... E cada um de nós é uma manifestação desse mistério. É uma bela compreensão mitológica, do tipo que lhe dá um senso de quem e do que você é"...

"O que temos aqui poderia ser entendido como puro individualismo, não é verdade?, caso você não se perceba de que o centro também está exatamente aí [dentro de você], diante de você, na outra pessoa. Essa é a maneira mitológica de ser um indivíduo. Você é a montanha do centro, e a montanha do centro está em toda parte"... [Cf. 'O Poder do Mito', p. 93/94. Joseph Campbell. Palas Athena].
Luz, Amor e Paz! (Campos de Raphael).